Início
MVC
Assine
- 11 de setembro de 2007 -
English Castellano
Evangelho
Meditação
Arquivo
Textos
Nós
Links
Comparta NE
Escreva-nos
Ajude-nos


Destaques:

Conferência de L.F. Figari no Congresso Mundial dos Movimentos Eclesiais (texto resumido - versão oral)

Faça desta página sua página de início

- Buscar -
 
 

Papa nos lembra que o Domingo é Dia do Senhor

Roma, 11 (NE – eclesiales.org) Durante sua visita pastoral à Áustria, o Papa Bento XVI destacou no Domingo passado a importância de celebrar o Domingo como o Dia do Senhor. Ao celebrar a Eucaristia na Catedral de São Estevão, o Papa durante a homilia explicou o sentido do Domingo, recordando que “na palavra ‘dominico’ encontram-se indissoluvelmente unidos dois significados (...): Em primeiro lugar está o dom do Senhor — este dom é Ele mesmo: o Ressuscitado, de cujo contato e proximidade têm necessidade os cristãos. (...) O encontro com o Senhor se inscreve no tempo através de um dia preciso”.

“Também nós — continuou — temos necessidade do contato com o Ressuscitado, que nos sustém até a morte e mais além dela. Necessitamos este encontro que nos reúne, que nos dá um espaço de liberdade, que nos permite ver mais além do ativismo da vida cotidiana o amor criador de Deus, do qual provimos e ao qual nos encaminhamos”.

O Papa destacou que “sem o Senhor e o dia que lhe pertence, a vida não é completa. O Domingo, em nossas sociedades ocidentais, se transformou em um fim de semana, em tempo livre. O tempo livre é certamente algo bom e necessário, especialmente com o frenesi do mundo moderno. No entanto, se o tempo livre não tem um centro interior, uma orientação clara, termina por se converter em tempo vazio que não nos fortalece. O tempo livre tem necessidade de um centro, o encontro com Aquele que é nossa origem e nossa meta”.

“O primeiro dia da semana — continuou — é o dia da manhã da criação, o dia em que Deus disse: ‘Faça-se a luz!’ Por isso, o Domingo, na Igreja, é também a festa semanal da criação — a festa da gratidão e da alegria pela criação de Deus. Em uma época em que a criação parece estar exposta a muitos perigos a causa da intervenção humana, devemos nos referir propriamente a esta dimensão do Domingo”.

Terminada a Missa, o Santo Padre se mobilizou à Praça, onde estava posto um pódio, do qual rezou o Ângelus, Antes da oração mariana, o Papa afirmou que “como Maria levou em seu ventre a Jesus, — um ser humano pequeno e indefeso, totalmente dependente da benevolência da mãe — do mesmo modo Jesus Cristo, sob as espécie do pão, se confiou a vós. (...) Amai-o como o amou Maria! Levai-o aos seres humanos como Maria o levou a Isabel, suscitando júbilo e alegria! A Virgem doou ao Verbo de Deus um corpo humano para que pudesse entrar no mundo. Entregai também vosso corpo ao Senhor — terminou — sendo cada vez mais instrumentos do amor de Deus, templos do Espírito Santo! Levai o Domingo, com seu dom imenso, ao mundo!”.